2 de agosto de 2015

O caminho bem definido

Se Jesus Cristo não fosse o único caminho para a salvação, então Deus seria um canalha. Isto porque Ele teria mandando Seu Filho para morrer por nós, à toa.

Esta é uma declaração muito, muito forte, e lembro-me até hoje como não foi fácil para mim ouvi-la pela primeira vez, anos atrás.

Mas ainda que seja uma frase difícil, ela é correta e necessária.

E por que necessária? Porque, infelizmente, muitas pessoas passam anos e anos dentro de uma instituição cristã, seja por medo, culpa, tradição familiar, ou qualquer outro motivo, sem realmente entender as profundas implicações daquilo que Cristo Jesus afirmou sobre Si mesmo, conforme registrado na Bíblia Sagrada. E por não entenderem direito, não somente acabam aceitando quaisquer outros tipos de “caminhos” e de “salvações” que existem por aí como também criticam e veem com maus olhos aqueles que não seguem seu exemplo.

Talvez ao ouvir ou ler uma frase de impacto como esta, estas pessoas possam compreender seu erro, e quem sabe se tornarem um pouco mais coerentes consigo mesmas.

Ninguém é obrigado a aceitar aquilo que a Bíblia Sagrada afirma, eu não tenho problemas em entender isso. Mesmo os pais crentes, que seguem a ordem do Senhor de evangelizar seus filhos ao longo dos anos, sabem que, no final das contas, um dia estes deverão decidir por si mesmos. (Até porque evangelizar é ensinar e informar, e não obrigar.)

O que é difícil de entender (e confesso que particularmente para mim isto é muito difícil) é o fato de uma pessoa que se diz cristã deliberadamente desenvolver um orgulho tão grande ao ponto de ficar cega ao real significado do seguinte verso:

Respondeu-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai senão por mim. (João 14:6)

Quem sabe com letras capitalizadas, grifadas e em negrito, o entendimento fica mais fácil:

Respondeu-lhe JESUS: Eu sou O CAMINHO, e A VERDADE, e A VIDA; ninguém vem ao Pai SENÃO POR MIM. (João 14:6)

Prezado(a) leitor(a): ao ler este verso, não deixe de considerar o artigo definido presente em “o caminho”; ele não está lá à toa. Ele acentua uma afirmação exclusivista que não soa bem aos ouvidos pós-modernos, mas está lá exatamente para este propósito. Sugiro que você reflita sobre ele, e decida-se, por simples questão de coerência.

#FicaADica

0 comentários: