9 de maio de 2015

Sim, homossexualismo é pecado

O chamado "casamento gay" está se tornando oficialmente reconhecido em muitos países, recebendo o mesmo status legal do agora chamado "casamento tradicional". A cultura LGBT é promovida e celebrada, a atração por pessoas do mesmo sexo é defendida e incentivada,  novas configurações de família se formaram, e a Suécia está até mesmo usando um novo pronome de gênero neutro porque, para os suecos, apenas "igualdade de gêneros" não é mais suficiente.

Qualquer oposição a estas coisas é quase que certamente classificada como homofobia. Alguém pode até dizer tolerar este novo status quo, mas para muitas pessoas isso não é o bastante: é preciso aceitá-lo completamente, ou então encarar as consequências.

A cultura obviamente mudou. E a igreja de Cristo?

Uma grande parte da igreja é vítima de perseguições pesadas, com punições que variam de prisão até a morte, por causa da fé em Nosso Senhor Jesus Cristo. Considerando que esta parte da igreja não tem voz nem para se defender, quanto mais conseguiria ela ser uma voz ativa onde está inserida.

A outra parte vive em uma sociedade pós-moderna, autocentrada, viciada em entretenimento, e segundo vejo, sofre de uma espécie de crise de identidade: ela se esqueceu do significado e da gravidade do pecado e, como muitas vezes parece, até mesmo de quem é o Cabeça da Igreja.

Isso pode ser verificado por exemplo na forma como a igreja está lidando com a questão da homossexualidade: ela se encontra dividida sobre isso. A análise dos motivos desta divisão são complexos e estão fora do escopo deste texto, mas na minha humilde opinião, eu diria que uma das razões seria simplesmente o medo de receber a desaprovação do mundo e de perder os privilégios conquistados ao longo dos séculos.

De qualquer forma, mesmo que hoje em dia muitos dentro da igreja aceitem a prática homossexual e o "casamento gay", eu não aceito, e é exatamente disto que este texto se trata: de usar da minha liberdade de pensamento e expressão religiosa para publicamente me posicionar ao lado daqueles irmãos e irmãs em Cristo que também rejeitam a prática homossexual como um comportamento sexual aceitável, e o "casamento gay"como sendo casamento.

Como cristão protestante, calvinista/reformado, eu mantenho o princípio bíblico e histórico da Sola Scriptura, o que significa dizer que eu reconheço e aceito a Bíblia como sendo a Sagrada Palavra de Deus, sendo assim suficiente e autoridade final de doutrina e prática. Eu reconheço e aceito que a Bíblia Sagrada revela quem Deus É, quem eu sou, e porque todas as coisas foram criadas. Eu reconheço e aceito totalmente aquilo que a Bíblia diz sobre mim: que eu sou um pecador que precisa urgentemente de um redentor, que é ninguém mais que o próprio Deus, Nosso Senhor Jesus Cristo.

Considerando tudo isso, eu também reconheço e aceito aquilo que a Bíblia ensina sobre a sexualidade humana e o casamento, ou seja, de que gênero não é uma construção social mas sim parte do projeto de Deus para os seres humanos, que o casamento é uma instituição criada por Deus constituída para a união do homem e da mulher, e que qualquer tipo de atividade sexual fora do casamento é pecado, incluindo o homossexualismo.

Conforme estabelecido no Antigo Testamento:

Criou Deus o homem à sua imagem, à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou. (Gênesis 1:27 NVI)

Por essa razão, o homem deixará pai e mãe e se unirá à sua mulher, e eles se tornarão uma só carne. (Gênesis 2:24 NVI)

Não se deite com um homem como quem se deita com uma mulher; é repugnante. (Levítico 18:22 NVI)

Conforme estabelecido no Novo Testamento:

Mas no princípio da criação Deus ‘os fez homem e mulher’. ‘Por esta razão, o homem deixará pai e mãe e se unirá à sua mulher, e os dois se tornarão uma só carne’. Assim, eles já não são dois, mas sim uma só carne. (Marcos 10:6-8 NVI)

Por causa disso Deus os entregou a paixões vergonhosas. Até suas mulheres trocaram suas relações sexuais naturais por outras, contrárias à natureza. Da mesma forma, os homens também abandonaram as relações naturais com as mulheres e se inflamaram de paixão uns pelos outros. Começaram a cometer atos indecentes, homens com homens, e receberam em si mesmos o castigo merecido pela sua perversão. (Romanos 1:26, 27 NVI)

Vocês não sabem que os perversos não herdarão o Reino de Deus? Não se deixem enganar: nem imorais, nem idólatras, nem adúlteros, nem homossexuais passivos ou ativos, nem ladrões, nem avarentos, nem alcoólatras, nem caluniadores, nem trapaceiros herdarão o Reino de Deus. (1 Coríntios 6:9, 10 NVI)

Portanto, sim, homossexualismo é pecado. Não o pior deles, mas pecado mesmo assim. Não imperdoável, mas um pecado que necessita de arrependimento, em Cristo Jesus, assim como qualquer outro.

0 comentários: