25 de maio de 2015

Sim, é pecado. E agora?

Como eu expliquei no texto anterior, sim, homossexualismo é pecado. É o que a Bíblia Sagrada diz ser, e para mim isso é uma questão de Sola Scritpura.

Mas e agora? Como os crentes deveriam tratar desta questão? O que eu devo fazer a respeito disso? Como manter-se biblicamente firme, ainda que com amor, quando alguém próximo, que você admira ou se importa, afirma ser gay?

Muitas pessoas cometem erros quanto a isso porque é tão mais fácil esquecer dos próprios pecados e concentrar nos pecados dos outros com uma "fúria justa". Assim sendo, segundo penso, a primeira coisa a fazer seria sinceramente reconhecer a própria condição de pecador. Todas as pessoas, cometendo diferentes tipos de pecados, precisam se arrepender e confiar em Jesus Cristo como Salvador. Quanto a isso, não somos em nada diferentes; precisamos todos da mesma ajuda. Ninguém é melhor do que ninguém.

Mesmo que tentando guiar-me por esta verdade, eu me considero um "trabalho em andamento": eu ainda tenho muito a aprender sobre como publicamente lidar com esta grande mudança cultural que estamos vivendo, e até mesmo sobre como falar com as pessoas quando questionado sobre o fato do homossexualismo ser pecado, ou sobre o significado do casamento.

Deus tem me ajudado nestas coisas, e com certeza Rosaria Butterfield é uma prova disso.

Conheci Rosaria através de seu livro The Secret Thoughts of an Unlikely Convert, que deveria ser leitura obrigatória para todos os crentes não apenas por seu testemunho de como ela se arrependeu de seu pecados (homossexualismo sendo um deles) e converteu-se a Cristo, mas por muitos outros motivos que tornam este um livro fantástico para o amadurecimento espiritual de qualquer um. Desde então tenho acompanhado o seu trabalho, sempre ficando admirado com a clareza de seu pensamento e seu olhar crítico.

Em uma entrevista recente Rosaria tocou com sensibilidade na questão de qual deveria ser o posicionamento dos cristãos frente ao homossexualismo. Sua resposta, que tem a minha total concordância, pode ser vista no vídeo à seguir:


0 comentários: