10 de novembro de 2014

Lexicon

Em um post anterior, comentei como o escritor australiano Max Barry havia se tornado um dos meus autores prediletos, citando que eu ainda precisava ler Syrup, seu primeiro livro, e Lexicon, o seu trabalho mais recente.

Esta semana terminei a leitura de Lexicon quase que da mesma forma como li seus outros livros: cativado pela trama, não conseguia parar de lê-lo. Devo dizer entretanto que me decepcionei um pouco com este trabalho, no sentido de que enquanto eu havia considerado todas as suas outras estórias como sendo críticas inteligentes a algumas ideias e instituições da nossa sociedade corporativa, achei que Lexicon é apenas isso: uma boa ficção. Com toda certeza um ótimo thriller, mas sem aquele olhar crítico que havia me conquistado anteriormente.

Resta agora ler Syrup, e pelo que já pude ver, esta parece ser uma ficção nos mesmos moldes de seus outros livros, ou seja, com algo a dizer sobre algum aspecto da nossa vida moderna, o que sugere que será outro de seus trabalhos que irei gostar bastante. Mas ainda não desisti de Lexicon; não pretendo relê-lo em um futuro próximo, mas pretendo contudo ler alguns reviews sobre o livro, a fim de que, quem sabe, perceber se o autor estava analisando algo que passou batido por este leitor imaturo.

0 comentários: