9 de novembro de 2014

Interestelar

[ texto com alguns spoilers ]

De forma geral, Interestelar, o mais novo filme de Christopher Nolan, não me decepcionou: uma estória linda e ao mesmo tempo bem fundamentada aliada à uma fotografia de tirar o fôlego resultando (em minha humilde opinião não profissional) em um dos melhores filmes de ficção científica já feitos.

Muito mais do que uma mensagem sobre o perigo de um apocalipse ambiental global, ao meu ver o filme é uma bonita defesa da capacidade humana de sonhar, de explorar, de desbravar novos horizontes, e aí sim sobre o perigo de perdermos esta capacidade. Não só isso, o filme retrata também como o amor que sentimos uns pelos outros deve ser nosso guia nesta jornada rumo à um futuro melhor, mais grandioso; sem ele como nosso guia, perdemos a nossa própria humanidade.

Como particularmente eu não acredito ser possível um futuro melhor e mais grandioso para a humanidade à parte de Deus, neste aspecto fica o meu ponto negativo sobre o filme: ele é mais uma estória baseada naquela velha ideia sci-fi de que vamos evoluir ao ponto de nos tornarmos quase que verdadeiros deuses, autores dos nossos próprios destinos no universo. Acho sempre bom ver estórias que reconhecem o fato de que precisamos de algo maior do que nós mesmos para nos desenvolvermos, mas à medida em que o tempo passa fico mais triste de perceber como o mundo não reconhece de que este Alguém que ele precisa é o Homem-Deus, Cristo Jesus, nosso próprio Criador.

O Ser Supremo que não enxerga apenas uma massa enorme de seres evolutivos, mas que criou e conhece cada um nós, intimamente, pelo nosso próprio nome, e que nos amou ao ponto de entrar no espaço-tempo e tornar-se um ser humano, como um de nós. Ninguém menos do que o próprio Senhor Deus demonstrou em Cristo Jesus esta outra bela mensagem do filme, de que o amor transcende o tempo e o espaço, justamente porque era disso que precisávamos para garantir nosso futuro melhor e mais grandioso, em toda a sua plenitude.

Em todo o caso, o filme é ótimo, e parabéns ao Christopher Nolan por mais este belo trabalho. Eis um homem que sabe usar com maestria o dom que Deus lhe deu.

1 comentários:

Leandro Henrique Dessart disse...

Você acabou de me deixar com mais vontade ainda de assistir.